Desfile aberto ao público será no sábado (3/6), a partir das 10h, em frente ao Monumento Expedicionário, no Parque Farroupilha 

Foto: Dani Villar

Uma cadeia produtiva que inicia no plantio do algodão agroecológico e vai até a comercialização de roupas, reunindo cerca de 600 trabalhadores em empreendimentos nas cinco regiões do Brasil – sendo 60% mulheres. São catadoras de sementes, agricultoras, fiadoras, tecedores, costureiras, artesãs e assentados que trabalham nos preceitos da economia solidária, equidade de gênero, inclusão social, sustentabilidade e comércio justo. Esta é a Justa Trama: organização que é referência em economia solidária e moda sustentável no Brasil e reconhecida internacionalmente como a rede nacional mais completa do país.

Em junho, a Justa Trama irá lançar sua nova coleção de roupas: “Moda que envolve: costureiras, artesãs e sustentabilidade”, desenvolvida com o apoio do Projeto Empodera, do Instituto Renner e Onu Mulheres. As roupas são produzidas com algodão orgânico certificado e colorido com tingimento natural, que preserva totalmente o ambiente. O resultado desta parceria são roupas confortáveis, sustentáveis e para todos os estilos. O lançamento será feito em um desfile aberto ao público no sábado (3/6), a partir das 10h, em frente ao Monumento Expedicionário, no Parque Farroupilha, em Porto Alegre. Quem passar por lá poderá conferir também um show com a banda Babitongas (www.facebook.com/babitongas).

As roupas da Justa Trama são comercializadas pelo e-commerce: www.justatrama.com.br.

 “O desfile é uma forma de trazermos para perto das pessoas, o que conseguimos criar e produzir de forma coletiva. A moda é uma escolha. Escolher a justa trama é escolher uma roupa que tem o cuidado com o meio ambiente em todo o processo. É escolher a natureza, um ambiente saudável. Uma roupa agradável produzida por mãos e ideias de quem acredita que a roupa também veste sua consciência. ” ​Nelsa Ines Fabian Nespolo, uma das fundadoras da cooperativa, que tem sede na Vila Nossa Senhora Aparecida, no bairro Sarandi, em Porto Alegre.

JUSTA TRAMA

No mercado desde 2005, a Justa Trama é uma rede composta por outras cinco organizações das cinco regiões do país, cada uma é responsável por uma etapa da produção. Fazem parte desta cadeia as cooperativas:

  • Associação de Desenvolvimento Cultural e Educacional (ADEC): Plantio do algodão orgânico em Taúa (CE).
  • Associação da Escola Família Agrícola da Fronteira (AEFAF): Plantio do algodão orgânico, em Pontaporã (MS)
  • Cooperativa de Produção Têxtil de Para de Minas (Coopertextil): Fiação e Tecelagem em Pará de Minas (MG)
  • Cooperativa Unidas Venceremos (Univens): Confecção, em Porto Alegre (RS)
  • Coletivo Inovarte: Brinquedos e jogos pedagógicos com as sobras da confecção, em Porto Alegre (RS)
  • Cooperativa Açaí: Sementes da região, usadas para ornamentação das peças e também produção de ecojoias, em Porto Velho (RO)

UNIVENS – Cooperativa de Costureiras Unidas Venceremos: Localizada em Porto Alegre/RS, foi fundada em maio de 1996 por mulheres entre 18 e 70 anos com o objetivo de promover geração de renda e trabalho de forma coletiva. Atualmente a cooperativa tem 22 cooperadas que produzem peças de vestuário como camisetas e uniformes, além da confecção e gestão na comercialização das peças da Justa Trama.

 

Veja todos os posts